2 de dez de 2006

Teu nome



O silêncio
soa mais alto que
todos os hinos
cantados em último volume.

Nenhuma estrela quando nasce
faz tanto barulho assim
é só a explosão de luz
e o silêncio

Foi assim
quando te descobri,
vieste devagarinho
sem voz
sem rosto
só um nome

O teu nome não é teu
mas o que importa?
Era este o teu nome,
existias somente
em palavras que me tocaram
em olhares que senti pousados
sobre meus ombros

Pronuncio o teu nome,
penso ti
e na ausência desenho
os olhos
o sorriso
o gesto terno com que me tocas
um gesto sem nome
não há nome assim...

É um oceano o teu nome
só o que me separa de ti,

O oceano...

Nenhum comentário: