6 de abr de 2007

Noite


Sozinha estou

entre paredes

brancas

Pela janela

azul

entrou a noite

Com seu

rosto

altíssimo

de estrelas.



Sophia de Mello Breyner Andresen

Um comentário:

HumbertotheWizard disse...

Nane, pelo menos ela não está só. Tem o imenso lençol de estrelas para contar e recontar, pois haverá melhor inspiração para o sonho e o romance, que as estrelas cintinlantemente suspensas, no infinito firmamento. Existirá maior encanto e estimulo para esvoaçar a imaginação, reacender as emoções e enlevar sonhar. Imaginando vastos prados verdes, nos quais se pode saborear o ar puro campestre que tonifica-nos a alma, e desperta-nos a sensibilidade para as coisas simples, das quais a vida é feita, ou então viver a felicidade de ser brindado pela suave e macia brisa maritima, que alivia-nos as feridas do coração, acompanhado do areal interminável da praia que purifica-nos a consciência, limpa os nossos defeitos e transmuta os pecados que mancham a tez, do nosso imaculado carácter. Sonhar, é o verdadeiro caminho para a liberdade de amar e ser feliz, para quem está só infelizmente, como a nossa amiga Sophia, sózinha e triste entre quatro paredes brancas. Venho retribuir a tua fraternal visita Nane, e desejar-te muitas felicidades a ti, uma das meninas mais bonitas das Terras além mar, de Vera Cruz.

(DominiodosAnjos.blogs.sapo.pt)