11 de abr de 2007

Vem aos meus sonhos


Vem aos meus sonhos,

Faz em mim a tua casa.

Planta, em frente, a cerejeira dos

pássaros brancos,

deixa que eles pousem nos ramos e cantem

eternamente,

deixa que nas asas de luz eu leia o meu

nome,

antes de os relâmpagos ascenderem os prados.

Vem aos meus sonhos,

vê os labirintos por onde me perco,

vê os meus países do mar,

vê, em cada barco que parte do meu coração,

as viagens que não fiz

os amores que não tive,

a lua cruel da minha solidão.

(José Agostinho Baptista)

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Gostei deste poema.
Beijos.

Daniel Aladiah disse...

Podemos viver nos sonhos dos outros... é lindo este poema.
Um beijo
Daniel