7 de jul de 2007


Ainda molhadas
de secar as lágrimas
prosseguem
no rosto
nos olhos
nos lábios
sobreviventes
das dores
da memória
de ti
percorrem
os silenciosos
corredores da memória
recompondo as ruínas
rebuscando as palavras
serpenteando cânticos
incensos
ternura

"amo-te"

Um comentário:

Daniel Aladiah disse...

Lindíssimo... e esse amo-te sentiu-se triste... não estejas...
Um beijo
Daniel