16 de out de 2007

Paixões de Seda


Não sei-te mais
já não escrevo
meu coração
ardente de melancolia
agita-se

na voluptuosidade
das paixões de seda
desliza
na doçura suave de uns lábios
nas noites intermináveis


O meu quarto é branco e preto
vermelho só a cor do silêncio
todo meu corpo é luz acesa
dos meus lábios

vertem mel e gengibre
talhando a garganta

estancando ás lágrimas

Tenho o teu nome escorrendo
em cada veia

És uma faca cravada na minha pele nua...

4 comentários:

directriz disse...

lindo!

Daniel Aladiah disse...

Lindo, Eliane... sentido.
Um beijo
Daniel

Baby disse...

Lindo, palavras que cavam sulcos no silêncio das nossas almas.
"Tenho o teu nome escorrendo em cada veia",é algo que nos toca!
Beijos.

O Profeta disse...

Hoje dei por mim a pensar
Para onde correm os teus anseios
Repousa a tua imensa saudade
Uma lagoa que abraça os ribeiros

Bom fim de semana


Doce beijo