27 de mar de 2008


Amo devagar os amigos que são tristes

com cinco dedos de cada lado

Os amigos que enlouquecem

e estão sentados, fechando os olhos,

com livros atrás a arder

para toda a eternidade.

Não os chamo, e eles voltam-se profundamente

dentro do fogo.- Temos um talento doloroso

e obscuro.Construímos

um lugar de silêncio.De paixão.


Herberto Helder ( Poemacto-1961)




Deixa que eu te ame em silêncio
Não pergunte
não se explique
deixe que nossas línguas se toquem
e as bocas e a pele
falem seus líquidos desejos.

Deixa que eu te ame
sem palavras
a não ser aquelas
que na lembrança ficarão
pulsando para sempre
como se o amor e a vida
fosse um discurso
de impronunciáveis emoções

12 de mar de 2008


O meu amor tem lábios de silêncio
E voa como o vento
E abraça-me onde a solidão termina
O meu amor tem trinta mil cavalos
A galopar no peito
E um sorriso
Que nasce quando a seu lado eu me deito

O meu amor ensinou-me a chegar
Sedento de ternura
Sarou as minhas feridas
E pôs-me a salvo
para além da loucura.

O meu amor ensinou-me a partir
Nalguma noite triste
Mas antes, ensinou-me
A não esquecer que o meu amor existe.


Jorge Palma