27 de mar de 2008



Deixa que eu te ame em silêncio
Não pergunte
não se explique
deixe que nossas línguas se toquem
e as bocas e a pele
falem seus líquidos desejos.

Deixa que eu te ame
sem palavras
a não ser aquelas
que na lembrança ficarão
pulsando para sempre
como se o amor e a vida
fosse um discurso
de impronunciáveis emoções

Um comentário:

Nilson Barcelli disse...

De facto, o amor não se pergunta nem se explica: sente-se.
E no seu excelente poema as emoções bastam para que tudo fique claro.

Bfs, beijinhos.