27 de mai de 2008

Joaquin Cortes y su flamenco II

2 comentários:

clorinda disse...

Simplesmente, adorei...
Abraço do Norte de Portugal
Clo

O Profeta disse...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo