28 de ago de 2008

Teu nome mais secreto


Só eu sei teu nome mais secreto
Só eu penetro em tua noite escura
Cavo e extraio estrelas nuas
De tuas constelações cruas

Só meu sangue sabe tua seiva e senha
E irriga as margens cegas
De tuas elétricas ribeiras,
Sendas de tuas grutas ignotas

Não sei, não sei mais nada.
Só sei que canto de sede dos teus lábios
Não sei, não sei mais nada.


Adriana Calcanhotto/Waly Salomão

Um comentário:

Baby disse...

Lindo poema que nos ofereceste. Gosto muito de ouvir a Adriana Calcanhoto, tem algo de especial.
Um beijinho amigo.