16 de ago de 2008

Veludo


"...Num ímpeto de seiva os arvoredos fartos,
Numa opulenta fúria as novidades todas,
Como uma universal celebração de bodas,
Amaram-se!..."

(Cesário Verde)



Desce mansamente
do meu telhado o entardecer
misterioso e belo felino
desce sem pressa
pressinto sua chegada
luz da lua refletida
em seus olhos
enigma
pantera negra
que fascina
embriaga
entrego-me as carícias
de suas garras e ao veludo
do seu corpo Junto ao meu
sussurros
sons de flautas luminosas
na noite escura...

Nenhum comentário: