3 de out de 2009

A ti, sempre

















No fim tu hás de ver
que as coisas
mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha
um dia o próprio vento...
 
Mário Quintana

Nenhum comentário: