1 de nov de 2009

Gaivotas do Vento




















Com os pés descalços
na areia da praia
entro inteira no mar
em busca das tuas palavras
que agora são incógnitas
enigmas à deriva
sem cais de porto
onde ancorar
a parte de mim
que levaste

Sem ti
sou apenas brisa do mar
algas dançando um balé
aflito
sulcando as espumas
devorando em mim
o desejo que em ti arpoava
gaivotas do vento
do tempo
que eras meu

Nenhum comentário: