7 de jan de 2010

Intemporal




















Dás-me a tua mão e guias-me no escuro?
Contas-me uma história de encanto
Para que como criança
No teu colo me esconda
Na tua mão adormeça
Os fantasmas se afastem
E a escuridão não exista?

Acendes um sol para mim
Até amanhecer?


O tempo não para
mas o tempo do meu amor
por ti
não tem fim...

2 comentários:

. intemporal . disse...

.

. intemporal.no pedido que se renova na protecção a ser gesto .

. e nunca resto .

. bel.íssimo .

.

. um bom fim de semana .

.

Anônimo disse...

Nunca te direi adeus
ainda que a distância
mesmo que o silêncio
embora o desânimo
ou até a dúvida

Nunca te direi adeus
enquanto a memória
se a esperança
e sobretudo o amor

Nunca te direi adeus
porque todos os dias
em todo o lado
tu és

Nesta esfera
onde os sentimentos
nos uniram
não há espaço nem tempo
nem longe nem vazio
apenas esta coisa sem nome
que me faz feliz
quando acordo para o sonho
pese embora
toda a solidão
maugrado
a dor


m@nuel