1 de out de 2010


















Talvez assim ela reencontre o corpo

da sua ténue nudez tão gratuita e tão leve

e sendo apenas um sopro que atravessa as imagens

as desnude até serem vagas luas

sobre a maré branca de um silêncio iluminado

pelo seu abandono ao corpo que deseja.



- António R. Rosa

Nenhum comentário: