22 de set de 2012

CORAÇOM AO VENTO...



















"Fértil agromada no coraçom do vento,
frutas aguardadas no meio das florestas,

eu em ti!,namorando levemente lava rosa,
no côncavo do meu meu corpo desangrado.
Seduce-me agora que a noite chega,
ispe-me num manto de jazmíns e lirios,
como sangue que nos beiços se eternice,
como as asas que nos namoram livremente.
Nos côncavos dos corpos desangrados,
ti e eu adormecemos no nosso fogo queimado
como cervos orgánicos,voraces,decepados,
rasgados,enlouquecidos,entreabertos; devorados
nas aranheiras volateis do nosso amor de sangue.
Seduce-me agora que chega a noite no fluxo
das fontelas que se espandem quentes,mestura
dos zumes que se ceivam no orgasmo pleno...

Fértil agromada no coraçom do vento
ti es a froita que esvara nos meus lábios."

* Este poema encontra-se escrito em Galaico-Português

Um comentário:

Ingrid disse...

belíssimo blog...
tenha um belo final de semana..