18 de nov de 2012









Eu amo seus silêncios, eles são como os meus.
Você é o único ser diante do qual eu não estou angustiado
por meus próprios silêncios.
Você tem um silêncio veemente, um sentir cheio de essências,
é um silêncio estranhamente vivo,
como uma armadilha aberta sobre um poço,
de onde se pode ouvir o murmúrio secreto da própria terra.

Anaïs Nin, Je suis le plus malade des Surrealistes

Um comentário:

opusdesiderium disse...

O enigmático silencio de uma ausência, quase sempre fazendo-se sentir presente o ausente..
"essências"

1beijo e votos de uma boa semana