9 de jun de 2011

Quero




Quero
Nos teus quartos forrados de luar
Onde nenhum dos meus gestos faz barulho
Voltar.

E sentar-me um instante
Na beira da janela contra os astros
E olhando para dentro
comtemplar-te,
Tu dormindo antes de jamais
teres acordado,
Tu como um rio adormecido
e doce
Seguindo a voz do vento
e a voz do mar
Subindo as escadas
que sobem pelo ar.



Sophia de Mello Breyner Andressen

Um comentário:

A. Mandel disse...

Quero sempre,
que teus versos aqui estejam,
que cada alma que adentre,
Rósea bruma(tua presença) vejam...

Lindo texto!!!
Bjos!