4 de nov de 2009














Minhas mãos
dedilhando tua pele
deslizando languidamente
no teu peito

Teus lábios
perdidos nos meus montes
mergulhando no abismo
do meu corpo e voamos

Voamos
como folhas ao vento
como gaivotas hipnotizadas
guiadas pela brisa fresca
e pelo aroma do amor e do mar

2 comentários:

Tatiane Trajano disse...

E por amor, voamos!
Ou é quase isso que sentimos..

Belo!

Beijos

Nilson Barcelli disse...

Continuas a escrever poesia maravilhosa.
Querida amiga, gostei de aqui voltar ao fim de tanto tempo.
Tudo de bom para ti.
Beijos.