11 de ago de 2012
































"Uma felicidade nos dedos
um fluir cálido 
o sol
captado no repouso sobre a mesa


e escrito aqui um sol tão rápido

Nada se separa sob os dedos

ignorantes da divisão do vidro

e o pássaro fica

sem o canto

não o sabem os dedos

Eles deslizam sobre a superfície

na absoluta densidade indesvendável..."



ANTÓNIO RAMOS ROSA, in O INCERTO EXACTO (1982)

 in ANTOLOGIA 

Um comentário:

Rita Freitas disse...

Lindo!

Bjs