19 de dez de 2006

É por ti



A chuva adquire
um som feroz,
faz estremecer
minha janela

Sons de violoncelo
rasgam o silêncio
na feroz brancura
desta melodia

É por ti
o canto desta
chuva

É por ti
que em mim
o fogo
serpenteia
e morre
na frescura
do teu beijo

Reascendendo
o meu corpo inteiro...

Nenhum comentário: